Projeto de Lei 1548/22 promove equidade tributária no Agronegócio e promove  a competitividade do agronegócio nacional

Por Leonardo Roesler | Colunista do Agro+ | Especialista em Direito Tributário

O recente avanço do Projeto de Lei 1548, originado no Senado Federal e aprovado pela Câmara dos Deputados, marca um momento crucial para o setor agrícola brasileiro. O projeto busca estender aos produtos derivados do milho o mesmo tratamento tributário dado à soja, visando promover uma equidade que tem sido muito necessária. Esta iniciativa representa não apenas um ajuste fiscal, mas um impulso estratégico para a competitividade do agronegócio nacional.

Ao longo dos anos, a soja tem sido beneficiada por incentivos fiscais significativos, especialmente em relação ao PIS/PASEP e à COFINS, contribuindo para sua competitividade no mercado global. Entretanto, o milho, que ganhou importância crescente na indústria de rações, não desfrutava do mesmo regime tributário, colocando-o em desvantagem competitiva. Nesse cenário, o Projeto de Lei 1548 surge como uma resposta legislativa para equalizar essa disparidade e fortalecer a posição do milho no mercado.

A extensão dos créditos tributários, principalmente para o óleo e farelo de milho, bem como seus resíduos de processamento, promete não apenas reduzir o custo fiscal para os produtores, mas também melhorar a qualidade e competitividade dos produtos finais. Essa medida não apenas beneficia diretamente os produtores industriais do setor, mas também contribui para a estabilidade de preços, fomentando a competitividade internacional do agronegócio brasileiro.

Embora o projeto tenha sido aprovado na Câmara dos Deputados, sua origem no Senado Federal e possíveis alterações exigem um acompanhamento atento. A frente parlamentar da agropecuária demonstra empenho na defesa da proposta, o que sugere um caminho mais suave no Senado. No entanto, em meio às discussões sobre reforma tributária e ajustes orçamentários, é fundamental que os produtores permaneçam vigilantes para garantir a aprovação final do projeto.

O Projeto de Lei 1548 representa mais do que uma simples medida tributária; é um passo significativo em direção à equidade e competitividade no agronegócio brasileiro. Ao ajustar a legislação tributária para refletir as necessidades do mercado

e fortalecer o setor agrícola, o Brasil reafirma seu compromisso com o crescimento sustentável e equitativo. O apoio da maior bancada do Congresso Nacional, a frente parlamentar do agronegócio, é crucial para garantir o avanço deste projeto tão importante para o desenvolvimento econômico e social do país.

Quer saber mais como aproveitar esse ganho tributário? Clique aqui e vamos conversar sobre essa oportunidade.

Saiba mais assistindo a coluna no Agro+.

Ainda com dúvidas? Fale agora com um especialista diretamente no WhatsApp:

Deixe seu Comentário:

Compartilhe:

Últimos Artigos:

IA no direito societário?

IA no direito societário?

Saiba como a inteligência artificial está desburocratização o direito societário: Recentemente, o Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (DREI)…
Saiba como as novas restrições da Lei 14.873/24 podem afetar sua empresa

Saiba como as novas restrições da Lei 14.873/24 podem afetar sua empresa

A Lei 14.873/24 trouxe mudanças significativas para a compensação de créditos tributários decorrentes de decisões judiciais transitadas em julgado. Agora,…
Governo federal prepara o lançamento do Plano Safra 2024/2025

Governo federal prepara o lançamento do Plano Safra 2024/2025

Com a aproximação do novo ano agrícola, o Governo Federal está em fase final de preparação para o lançamento do…